Florestal

Com plantio de mais de 500 árvores frutíferas, Vila Campina da Alegria ganha pomares comunitários

A Vila Campina da Alegria, lar de grande parte dos colaboradores das unidades fabris de Santa Catarina e de seus familiares, está vendo crescer uma ideia sustentável que logo dará frutos – literalmente. Trata-se do plantio de mais de 500 árvores frutíferas de tamanhos e sabores variados. O trabalho iniciou em agosto e deu origem a pomares comunitários distribuídos em locais escolhidos estrategicamente.

Mais do que ampliar a área verde da Vila e embelezar espaços ociosos, a iniciativa pretende alimentar o sentimento de pertencimento de quem mora e constrói a vida ali. Em breve, os moradores poderão colher pêssegos, ameixas, peras, maçãs, laranjas, figos, maracujás, uvas, entre outras opções, incluindo espécies exóticas como pitaia e mirtilo.

O projeto foi desenvolvido pelas equipes de Sustentabilidade e Estrutura Patrimonial e Civil, sob o comando dos Gerentes Leandro Farina e João Maria Santos. O trabalho coletivo continuou na fase de plantio das mudas. A atividade foi liderada pela equipe multidisciplinar de jardinagem, que seguiu padrões específicos como distanciamento e enquadramento de acordo com cada espécie.

Foram escolhidas plantas com capacidade de se adaptarem ao clima da região, cujos frutos pudessem oferecer qualidades nutritivas à comunidade e aos colaboradores. Outro destaque é o manejo ecologicamente correto com adubação orgânica e sem uso de agrotóxicos.

“Neste primeiro ano já teremos uma pequena safra. Como as plantas frutíferas são clonadas pelo sistema de alporquia ou estaquia, em 2020 teremos a possibilidade de atender a comunidade com boa produtividade”, observa o Supervisor Patrimonial e Gestor da Vila, Mauro Pasqualon. No caso dos parreirais, segundo ele, a expectativa é obter até 2021 cerca de meia tonelada de uvas de variedades como Bordô, Carmem e Niágara.

Para crescer e se tornar perene, o grande trunfo deste projeto sustentável é contar com o apoio dos próprios moradores, numa dinâmica de trabalho que lembra a de uma cooperativa, ainda que o funcionamento seja informal. “Os voluntários poderão atuar ao lado dos profissionais da Irani, realizando podas, limpeza e outros cuidados necessários, além do plantio de novas mudas. Se a comunidade aderir conforme esperamos, em dois anos teremos o dobro de árvores”, enfatiza Pasqualon.

Para isso, os interessados receberão treinamento, principalmente sobre as técnicas de clonagem. A intenção é aproveitar uma expertise desenvolvida pela empresa na área florestal e rentabilizar as atividades do grupo a partir da comercialização das mudas, especialmente de plantas com pouca disponibilidade no mercado nacional. O plano inicial é destinar o valor obtido com as vendas para cobrir despesas do projeto, o que inclui compra de insumos e outros materiais.

AO ALCANCE DA MÃO
Os pomares da Vila foram criados para servir os colaboradores e a comunidade. E o melhor: fresquinhos, orgânicos e gratuitos. Diante dessa proposta, atitudes como repartir e compartilhar são fundamentais para que os frutos estejam sempre ao alcance de todos.

Quando chegar a hora de colher, observe se o fruto está mesmo maduro. Em caso de dúvida, converse com um jardineiro da equipe de Estrutura Patrimonial ou consulte uma pessoa com mais experiência. “Nós, veteranos da terra, teremos prazer em ajudar. O nosso maior interesse com o resultado desse trabalho é a felicidade de quem mora aqui”, completa o Gestor da Vila.

POMAR EDUCACIONAL
Entre os locais escolhidos para a formação dos pomares está a Escola Galeazzo Paganelli, que recebeu uma mistura interessante de seis espécies nobres. Lá, as árvores servirão ainda de suporte pedagógico. Enquanto os alunos observam o desenvolvimento do caule e folhas, a floração e o surgimento dos frutos, os professores terão a possibilidade de ensinar cada aspecto presente na iniciativa, do ambiental ao social.

LOCALIZAÇÃO DOS OUTROS POMARES

Entorno da Pausada da Vila
Pomar de frutos com caroço: pêssego, ameixa, nectarina e os nobres, como mirtilo e pitaia;
Pomar de cítricos: laranja, poncã, murcote, limão, tangerina e lima;
Pomar misto: frutas cítricas citadas acima, figo gigante de Valinho e branco, pera, maçã e caqui.

Centro da Vila
Pomar misto: figo gigante de Valinhos e branco, pera, maçã, caqui e romã.

Na entrada, centro e ao lado do Pátio de Madeiras
Parreirais: uvas Bordô, Carmem, Niagara Branca, Niagara Rosa e Francesa. Em breve será introduzida a uva “Champagne”, rara no Brasil.

Atrás do Posto de Saúde na Vila
Mini pomar: frutos variados.

Entrada da Vila
Mini pomar: somente romãs

Pátio do parque fabril
Pomar interno, no topo da escada de acesso ao refeitório: mix de cítricos e frutas nobres. Em breve será criado um pomar específico de amoras gigantes portuguesas.