Reconhecimento

Produção de briquetes de carvão a partir de resíduos industriais conquista o Prêmio Brasil Ambiental da Amcham Rio

O projeto desenvolvido pela Irani em parceria com a empresa GTNH, que resultou na produção de briquetes de carvão Ecomais a partir das cinzas provenientes da queima de biomassa na Unidade Papel SC, foi um dos vencedores do 14º Prêmio Brasil Ambiental. Promovido pela Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (Amcham) desde 2005, o prêmio reconhece iniciativas inovadoras que contribuem para evolução do desenvolvimento sustentável do país.

Destaque da categoria “Resíduos Sólidos”, a iniciativa da Irani coloca em prática o conceito de economia circular, alimentando uma nova cadeia de valor. O processo é o seguinte: a queima da biomassa emite gases de combustão e partículas finas. Para controlar essas emissões atmosféricas, a caldeira da Irani possui sistema de lavagem de gases na chaminé, o qual é destinado à retenção úmida de partículas oriundas do processo de combustão. Pela ação de chuveiros, a água é pulverizada para reter esse material que o gás arrasta durante a combustão, gerando como resíduo sólido as cinzas.

Antes destinada ao aterro industrial, a cinza grossa proveniente desse processo é misturada com aglutinantes e se transforma em briquetes de carvão vegetal. Sob a marca Carvão Ecomais, o produto chega ao mercado consumidor em pacotes de 2,5 e 4 kg para substituir com eficiência o gás, a energia elétrica, o carvão vegetal tradicional, o carvão mineral e a lenha. Mais eficiente, compacto e ecológico, sua queima tem chamas limpas e sem fumaça. O Ecomais pode ser usado em churrasqueiras, fornos a lenha, aquecedores e lareiras.

Além da Irani, outras seis empresas foram premiadas neste ano, uma por categoria (água, ecossistemas, emissões atmosféricas, empreendedorismo sustentável, inovação e responsabilidade socioambiental). Os trabalhos vencedores serão tema de reportagem na revista Brazilian Business.

Saiba mais detalhes sobre o projeto.