Reconhecimento

Irani conquista Prêmio Eco 2018 por destino sustentável de resíduos industriais

A iniciativa sustentável que transforma resíduos industriais em briquetes de carvão, um produto ecológico destinado ao mercado para consumo, rendeu à Irani o Prêmio Eco 2018. Concedido pela Câmara Americana de Comércio para o Brasil (Amcham) e pelo jornal O Estado de São Paulo, o prêmio é considerado o mais importante da área de sustentabilidade empresarial do país. O anúncio dos vencedores foi feito nesta terça-feira (15).

Destaque da categoria “Sustentabilidade em Processos”, o projeto desenvolvido pela Irani em parceria com a empresa GTNH, coloca em prática o conceito de economia circular, alimentando uma nova cadeia de valor. O processo une inovação e tecnologia a fim de reutilizar as cinzas provenientes da queima de biomassa, principal fonte de energia e vapor para produção de papel e embalagem, em Vargem Bonita (SC).

Para controlar as emissões atmosféricas da queima do biocombustível, a caldeira de cogeração da Irani possui sistema de lavagem de gases na chaminé, destinado à retenção úmida de partículas oriundas do processo de combustão. Ao final, a ação dos chuveiros gera dois resíduos: cinzas grossas e finas.

As cinzas finas possuem nutrientes que auxiliam na incorporação do solo e são aproveitadas na agricultura e nas florestas plantadas da empresa. Já as cinzas grossas são encaminhadas à requeima na caldeira e o restante seguia para o aterro industrial.

No entanto, a prática apresentava elevados custos para disposição, além de redução na vida útil do aterro em razão do volume depositado. Agora, o destino é outro: as cinzas vão para uma unidade de processamento. Lá são misturadas com aglutinantes e se transformam em briquetes de carvão vegetal.

Sob a marca Carvão Ecomais, o produto chega ao mercado consumidor em pacotes de 2,5 kg e 4 kg para substituir com eficiência o gás, a energia elétrica, o carvão vegetal tradicional, o carvão mineral e a lenha. Mais eficiente, compacto e ecológico, sua queima tem chamas limpas e sem fumaça. O Ecomais pode ser usado em churrasqueiras, fornos a lenha, aquecedores e lareiras.

Desde o início da operação, em 2016, já foram processadas mais de 3.200 toneladas de resíduo de carvão, resultando em mais de mil toneladas de briquetes de carvão, evitando a emissão de cerca de 200 toneladas de gases de efeito estufa.

SOBRE O PRÊMIO

Lançado pela Amcham em 1982, o Prêmio Eco foi pioneiro no reconhecimento de empresas que adotam práticas socialmente responsáveis. O nome ECO é a fusão das palavras empresa e comunidade. Ao longo dos últimos 36 anos, o prêmio tem antecipado tendências e contribuído para que os holofotes da sustentabilidade apontem para aqueles que realmente estão fazendo a diferença no tema.

Nesta edição, 46 projetos foram premiados. A cerimônia de entrega dos troféus será no dia 21 de fevereiro na sede da Amcham-São Paulo.

Esta é a terceira vez que a Irani conquista o Prêmio Eco. O primeiro troféu veio em 2007, com o projeto “Mecanismo de Desenvolvimento Limpo – Usina de Cogeração”, medida que promoveu a substituição do uso de combustível fóssil por biomassa renovável na geração de energia. É exatamente a queima da biomassa que gera o resíduo industrial, agora transformado em briquetes de carvão. Em 2017, o case vencedor foi a instalação da Planta de Reciclagem de Plástico na Unidade Papel SC.