Do saco do pãozinho do café da manhã à sacola das compras no shopping, nossos papéis estão em muitos momentos do seu dia a dia.

Certificados pela ISO 9.001 e pelo Forest Stewarship Council® (FSC® C009947) de Cadeia de Custódia, nossos papéis variam de 30 a 200g/m² e são indicados para conversão em embalagens rígidas ou flexíveis.

Nossa linha de produção de papéis proveniente de aparas atende aos segmentos de caixas e chapas de papelão ondulado.

Respeitando as exigências nacionais e internacionais, também oferecemos papéis 100% fibra virgem que podem entrar em contato direto com alimentos.

A certificação FSC® de Cadeia de Custódia garante ao consumidor que o produto foi fabricado com matéria-prima de floresta certificada e controlada.

Este processo exige garantias de controle da procedência, do manuseio e do rastreamento da matéria-prima utilizada em todas as etapas da produção, desde a floresta até o produto final.

Destaques do negócio papel

Uma das principais produtoras nacionais de papel FineKraft,
próprio para contato direto com alimentos e utilizado na produção
de sacos de pão.

mais de7tipos de papel

gramaturas entre30 e 200g/m

mais de276miltoneladas de papel
para embalagem
produzidas por ano

papeiscertificadospara contato
com alimento

Linhas de papel kraft

Cada linha de papel Irani é indicada para produções específicas como
sacolas, sacos para pães, envelopes, sacos industriais, fitas gomadas,
entre outros. Encontre o papel ideal utilizando nossos filtros:

FILTROS

O BagKraft é um papel reciclado com certificação FSC® e alta resistência física e que permite ótima qualidade de impressão.

Característica: monolúcido, reciclado com percentual de fibra virgem.
Coloração: pardo.
Gramatura: 70 a 140 g/m².
Aplicação sugerida: sacolas para lojas de varejo.

O BagKraft Alisado é um papel reciclado com certificação FSC® e alta resistência física e que permite ótima qualidade de impressão.
Característica: sem brilho, reciclado com percentual de fibra virgem.
Coloração: pardo.
Gramatura: 70 a 110 g/m².
Aplicações sugeridas: sacolas para lojas de varejo.

Característica: exclusivo para o setor de envelopes.
Coloração: pardo e ouro.
Gramatura: 775 a 110 g/m².
Aplicação sugerida: 

fabricação de envelopesZ.

Característica: monolúcido, fibra longa virgem.
Coloração: produção somente sob consulta/encomenda na cor indicada pelo cliente.
Gramatura: 35 a 75 g/m².
Aplicação sugerida: fabricação de sacos leves e envelopes.

Característica: monolúcido, fibra longa virgem.
Coloração: pardo e branco.
Gramatura: 30 a 60 g/m².
Aplicação sugerida: fabricação de sacos leves para rede fast food e panificadoras, mascaramento de pintura, moldes de costura e plotter.
Papel apropriado para contato com alimentos. Atende às exigências da Portaria 177/99 da ANVISA.

Característica: monolúcido, fibra longa virgem.
Coloração: pardo.
Gramatura: 70 a 125 g/m².
Aplicação sugerida: fabricação de sacolas, sacos industriais, fitas gomadas e embrulhos.
Papel apropriado para contato com alimentos. Atende às exigências da Portaria 177/99 da ANVISA.

Característica: alisado, fibra longa virgem.
Coloração: pardo.
Gramatura: Coloração:
Aplicação sugerida: fabricação de sacos industriais e embrulhos.
Papel apropriado para contato com alimentos. Atende às exigências da Portaria 177/99 da ANVISA.

FlexiKraft
Característica – extensível, fibra longa virgem.
Coloração – pardo.
Gramatura – 70 a 125 g/m².
Aplicação sugerida: fabricação de sacos industriais.
Papel apropriado para contato com alimentos. Atende às exigências da Portaria 177/99 da ANVISA.

PRODUÇÃO DO PAPEL
Nossos papéis são produzidos nas unidades Papel SC, em Vargem Bonita e Papel MG, em Santa Luzia.

Conheça o processo de produção de papel:



1

Estoque de Cavacos

A madeira de pínus e de eucaliptos são as matérias-primas mais comumente utilizadas para a fabricação de papel. Após o corte, as toras são descascadas, dando origem aos cavacos que geram a
celulose e são usadas como combustível para produzir vapor e eletricidade.


2

Fabricação da Polpa

A madeira é feita de fibras celulosas aderidas umas às outras por uma “cola”, chamada lignina. Para converter madeira em polpa, estas fibras devem ser separadas pela remoção da lignina.

Processo Mecânico
A polpa é obtida na prensagem dos troncos contra pedras de moer na presença de água.

Processo Químico
Os cavacos, ou lascas de madeira, são misturados com substâncias químicas.

Saiba mais >

3

Branqueamento

A fabricação de alguns papéis exige o branqueamento da polpa. Para isso, são usados produtos químicos que eliminam a lignina. A polpa resultante deste processo é mais branca e tem tendência menor de amarelar com o passar do tempo.

Novas tecnologias vêm reduzindo consideravelmente o impacto ambiental do processo de branqueamento.

4

Formação da Folha

A polpa chega à caixa de entrada da máquina de papel contendo mais de 99% de água. A mistura é lançada sob a forma de um jato fino e uniforme sobre a tela formadora. A ação filtrante da tela, combinada a um sistema de vácuo, extrai grande parte da água contida na polpa, formando assim, a folha de papel. A folha é prensada entre rolos para remover mais água. Então atravessa a seção de secagem, onde entra em contato com cilindros secadores que extraem a água restante por meio da evaporação.

5

Acabamento

O acabamento consiste na conversão em folhas cortadas e embalagem de todos os produtos. O processo usa modernos equipamentos para o corte, empacotamento e paletização. Atualmente, na maioria das fábricas toda a produção é realizada automaticamente, sem contato manual.